quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Párocos de Ílhavo: D. Júlio Tavares Rebimbas 1949-1964

Elementos para uma foto -biografia:

   Faleceu no dia 6 de Dezembro, aos 88 anos, D. Júlio Tavares Rebimbas, ex-prior da Paróquia de São Salvador de Ílhavo, e ilhavense convicto de coração ... como gostava de relembrar!

   D. Júlio Tavares Rebimbas nasceu na freguesia de São Mateus de Bunheiro, concelho da Murtosa, a esse tempo Diocese do Porto, em 21 de Janeiro de 1922, filho de Sebastião Tavares e de Maria Antónia Tavares Rebimbas, ele  agricultor, ela costureira.
   Frequentou o Colégio de Ermesinde e o Seminário de Vilar, no Porto, até 1939. Por motivo da criação da Diocese de Aveiro, frequentou o 6º ano no Seminário dos Olivais, em Lisboa, o 7º ano no Seminário de Santa Joana em Aveiro e concluiu o curso teológico no Seminário dos Olivais, em 1945.
   Foi ordenado presbítero pelo Arcebispo-Bispo de Aveiro, D, João Evangelista de Lima Vidal, em 29 de Junho de 1945, em Pardilhó.

   Celebrou Missa Nova, na sua terra natal, em 8 de Julho de 1945, sendo, no mesmo ano, nomeado Coadjutor do Pároco de Ílhavo.
   Em 1946 foi nomeado Pároco de Avelãs de Cima e Avelãs de Caminho, em Anadia.

 Em 21 de Outubro de 1949, foi nomeado Pároco de Ílhavo, em 1951, Arcipreste de Ílhavo e em 1952, Professor de Religião e Moral.

Obra de reconstrução da Igreja Matriz
de São Salvador de Ílhavo - c. 1951
    Desde 1951, empenhou-se na reconstrução a Igreja Matriz de São Salvador de Ílhavo e da residência Paroquial.
   Em 1958, foi nomeado Vigário Judicial da Diocese de Aveiro, em 1959, Vigário Geral da mesma Diocese e ainda nesse ano, nomeado Monsenhor, por S.S. o Papa João XXIII.
   Em 1961, nomeado Diretor do Colégio Liceal João de Barros, em Ílhavo.
   Em 21 de Janeiro de 1962, eleito Vigário Capitular da Diocese de Aveiro, por falecimento de D. Domingos da Apresentação Fernandes e a 8 de Dezembro do mesmo ano, Governador do Bispado de Aveiro, na ausência de D. Manuel de Almeida Trindade.
   Em 1963, nomeado Consultor Diocesano e de novo Vigário geral.
   Foi presidente da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia de Ílhavo, e Membro de várias Comissões e Conselhos. Fundou, em 1954, o boletim "Família Paroquial", o Centro de Formação e Assistência de Ílhavo, o Património dos Pobres de Ílhavo, o "Lar de S. José" destinado a pessoas idosas e 18 casas para famílias pobres.
Obra de reconstrucção da residência
Paroquial de Ílhavo - c. 1951

   Em 1965 participa no Concílio Ecuménico Vaticano II (1962-1965); tinha na altura 43 anos, quando em 27 de Setembro de 1965 foi eleito pelo S.S. Papa Paulo VI, para Bispo do Algarve.

  Em 26 de Dezembro, dia de Santo Estêvão, do mesmo ano, foi ordenado Bispo, no Estádio Municipal de Ílhavo.

   Em fins de Janeiro de 1966 tomou posse da Diocese do Algarve, tendo sido eleito Delegado Nacional para a Pastoral do Turismo, no mesmo ano.
   Em 1 de Julho de 1972, eleito Arcebispo de Mitilene e Auxiliar do Cardeal Patriarca de Lisboa, e eleito Presidente da Comissão Episcopal da Educação cristã, no mesmo ano.
   Em 3 de Novembro de 1977 eleito pelo Santo Padre Paulo VI para primeiro Bispo da Diocese de Viana do Castelo, criada na mesma data.
   Em Junho de 1981 eleito Presidente da Comissão Episcopal da Liturgia.

  Ordenação de Bispo do Algarve no
Estádio Municipal de Ílhavo - 26 de Dezembro de 1965

   Em 12 de Fevereiro de 1982 nomeado Bispo do Porto e na mesma data Administrador Apostólico de Viana do Castelo.Tomou posse da Diocese do Porto em 2 de Maio de 1982.

   No dia 15 de Maio recebeu o Santo Padre João Paulo II, no Porto, tendo sido eleito no mesmo ano para o Conselho Permanente do Episcopado Português.
   Nomeado em 4 de Janeiro de 1986 para Membro da Congregação dos Bispos.
   Nesse ano fez lançamento e execução de obras de restauração da casa da Rua da Boa Vista, das Palhacinhas, do Seminário da Sé, da Casa Episcopal e da Torre da Marca.
 Organizou o congresso Diocesano dos jovens, em 1986, o congresso Diocesano de leigos em Dezembro de 1988, e o lançamento da Construção do Centro Diocesano de Vilar em Fevereiro de 1989, concluído em 1993.
   Fez o lançamento da reconstrução da Casa Diocesana de S. Paulo, em Cortegaça, em 1990, concluída em 1992, e a reconstrução de um pavilhão do Seminário Médio do Bom Pastor, em 1994.
   Organizou o congresso Diocesano da Família em 1994, e a reconstrução da Cúria Diocesana e do Tribunal Eclesiástico em 1995.
   Em 31 de Maio de 1997 recebe a Medalha de Honra da Câmara Municipal do Porto.

Em 31 de Junho de 1997, com a Nomeação de D. Armindo Lopes Coelho para Bispo do Porto, foi aceite a resignação como Bispo do Porto.

No dia 19 de Julho de 1997, a Diocese do Porto homenageia o que foi o Bispo nos últimos 15 anos, em Cerimónia Solene na Casa Diocesana de Vilar.

Hugo Cálão, Dez 2010

Sem comentários:

Enviar um comentário